Acesse o novo site

Em 09/08/2019 06:31, Categoria: Ação Social e Habitação

Caps realiza atividades para o bem-estar de seus pacientes


Por: Franciele Moraes | PMLV

Oficina de artesanato. Foto: Caps | divulgação

Um olhar cuidadoso para as necessidades do outro, buscando a valorização do ser humano. Esse é um dos objetivos do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), que realiza diversas ações para o bem-estar de seus pacientes em Lagoa Vermelha, com oficinas de artesanato, de marcenaria, alfabetização, entre outras.

Nas segundas-feiras, os integrantes do Caps participam do Projeto Fábrica Encantada, no Centro de Arte Sustentável que consiste na realização de trabalhos com materiais reutilizados como jornais, latinhas e garrafas pets, para a criação de diversas peças artísticas. A coordenadora da instituição, Paula Castilhos, explica que além da conscientização ambiental, os pacientes irão utilizar seus trabalhos para a decoração o Caps.

O artesanato também ganha papel de destaque. Nas quartas-feiras são confeccionados tapetes de retalhos, sob orientação de Jacira Tessari. Outra atividade desenvolvida pelos pacientes é o Projeto de Cidadania, realizado mensalmente na quintas-feiras. Segundo Paula, o objetivo da ação é fazer visitas técnicas nas entidades do município. “Eles aprendem qual é a importância das instituições na sociedade e, dessa forma, acabam entendendo quais são os seus direitos e deveres como cidadãos”, diz. Nas quintas-feiras, além do Projeto de Cidadania, são preparadas aulas de alfabetização.

Já nas sextas-feiras ocorrem atividades externas – passeios ao ar livre, gincanas, filmes- e a oficina de marcenaria, que é ministrada sob a orientação da oficineira, Vitória Rodrigues.  Paula salienta que cada um dos pacientes escolhe de forma democrática quais das duas ações querem realizar no dia. “O objetivo é promover atividades que eles gostem, escutamos as suas opiniões”, ressalta.

Oficina de alfabetização. Foto: Caps | divulgação

Agenda lotada

Os planos para o futuro, de acordo com Paula, incluem fazer uma feira, na qual os trabalhos produzidos pelos pacientes serão vendidos. Outra proposta é uma atividade alusiva ao Dia dos Pais: os homens atendidos pelo Caps participarão de uma roda de conversa, na qual será debatida a importância do papel de pai e de filho, o valor da vida, além de aprenderem a como lidar com mágoas que afetam os relacionamentos. “Fazemos várias atividades de conscientização, como o Dia da Luta Antimanicomial, e agora planejamos uma ação coletiva para a campanha Setembro Amarelo – de prevenção ao suicídio”, conta Paula.

Para além da ressocialização

A ressocialização é apenas um dos benefícios que as atividades e oficinas do Caps podem trazer para a vida dos pacientes. “Elas contribuem para um aumento da concentração e da autoestima e na diminuição ansiedade. Um escuta a opinião do outro, descobrem novas histórias. É uma terapia em grupo”, afirma a coordenadora. Ela acrescenta que essas atividades desconstroem o senso comum, de que somente a medicação é o suficiente para promover a qualidade de vida.



Publicado por: Assessoria de Imprensa
Esta notícia foi visualizada 42 vez(es).