Em 25/04/2019 01:49, Categoria: Saúde

Surto de toxoplasmose descartado em Lagoa Vermelha


Foto: Youtube

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde do RS, manifestou-se sobre os casos de toxoplasmose em Lagoa Vermelha, que tem repercutido nos últimos dias em todo o estado do Rio Grande do Sul. Segundo Tani Ranieri, coordenadora de vigilância epidemiológica, não é possível afirmar que às crianças tivessem contraído a doença no mesmo local e ao mesmo tempo, os exames diagnosticaram que em alguns casos houve um intervalo de quatro meses entre as contaminações.

Tani salientou que, após a realização de uma série de exames e acompanhamento, o surto de toxoplasmose pode ser descartado no município de Lagoa Vermelha. No entanto, destacou a importância de uma higiene adequada dos alimentos e das mãos, para evitar o contagio da doenças.

Situação Atual

  • A análise dos dados obtidos não evidencia a ocorrência de surto na Escola Duque de Caxias. Isso porque não foi possível estabelecer uma relação temporal entre eles (data de início dos sintomas), sendo alguns casos assintomáticos. Também, não foi possível correlacionar os casos com uma provável fonte comum de infecção. Após o relato destes casos de toxoplasmose, não houve informação de novos casos da doença nesta instituição.
  • Medidas de promoção e prevenção foram adotadas pela instituição de ensino: limpeza e desinfecção da caixa d’água e remoção da caixa de areia da área externa da escola.
  • A inspeção sanitária da escola e as condições do ambiente estavam em conformidade.

RECOMENDAÇÕES

            São medidas gerais de prevenção de doenças de transmissão hídrica e alimentar:

  • Lavar bem as mãos antes do preparo dos alimentos, sempre que interromper a atividade de preparo, e após.
  • Consumir somente água tratada.
  • Somente consumir alimentos, crus como vegetais folhosos, frutas e legumes, após a lavagem mecânica retirando todas as sujidades. Atenção, não basta deixar os vegetais de molho em  água ou qualquer outro tipo de solução.
  •  Não comprar alimentos que não tenham sido inspecionados ou não possuam registro.
  • Não consumir leite e seus derivados crus, não pasteurizados

 



Publicado por: Assessoria de Imprensa
Esta notícia foi visualizada 244 vez(es).